Kambaku

Icon podcast

Angola aposta na translocação de girafas e outros animais para recuperar Parque Nacional do Iona

Dez 10, 2023 |

A African Parks e a Giraffe Conservation Foundation estão a implementar um plano de reintrodução de girafas no Parque Nacional do Iona, em Angola e para isso translocou a primeira manada que agora se encontra numa fase delicada de adaptação ao novo habitat.

De acordo com nota da African Parks, essa transferência, que aconteceu há cerca de três meses, os mais críticos do período de adaptação, levou a reintrodução de um total de 14 girafas angolanas, tendo a maioria conseguido sobreviver à mudança.

As girafas, provenientes de uma fazenda de caça privada na Namíbia, têm idades entre 3 e 5 anos, para que não fossem muito altas para o transporte. As girafas enfrentaram uma jornada de 36 horas até ao Parque Nacional de Iona. Infelizmente, nas primeiras semanas de agosto, três das girafas haviam morrido. As condições em torno das mortes foram avaliadas, e embora não tenha sido possível determinar uma causa específica, concluiu-se que as mortes foram naturais, sem influência humana.

Uma segunda translocação de girafas está agora a ser planeada para o primeiro semestre de 2024. Futuramente, espera-se que Iona receba reintroduções de rinocerontes-negros, leões e até mesmo elefantes, visando restaurar este parque no deserto e devolver o seu antigo esplendor.

O Parque Nacional de Iona emerge, assim, da sua quase destruição devido a décadas de conflitos tornando-se, assim, lar de espécies há muito perdidas neste valioso ecossistema graças a uma abordagem bem sucedida de gestão do parque que inclui o envolvimento das comunidades locais.

Iona, localizado no sudoeste da África, encontra-se no deserto mais antigo do mundo, o Namibe, mais associado ao país vizinho, a Namíbia. O parque é a área protegida mais antiga e uma das maiores de Angola, com 15.150 km2, abrangendo paisagens diversas, desde dunas à beira do Oceano Atlântico até montanhas da Zona Sul, elevando-se a mais de 2.000 metros.

Declarada área protegida em 1937 e designada Parque Nacional de Iona em 1964, enfrentou quatro décadas de conflitos devido à Guerra de Independência e guerra civil. Contudo, desde a chegada da paz a Angola em 2002, as comunidades locais começaram a regressar às suas terras, e esforços para restabelecer no país as suas áreas protegidas foram iniciados levando, em 2018, à criação da Área de Conservação Transfronteiriça Iona-Costa dos Esqueletos, uma das maiores do continente.

Como parte desse renascimento, a African Parks assinou um acordo de gestão com o governo angolano em 2019 e, desde então, tem trabalhado na conservação e restauração desta área protegida.

A reintrodução de girafas angolanas (Giraffa giraffa angolensis) na área – pensadas extintas na região nos anos 1940 e em todo o país nos anos 1990 – faz parte desses esforços de restauração.

Em parceria com a Giraffe Conservation Foundation, a African Parks avaliou a viabilidade de translocar uma população fundadora de girafas angolanas da Namíbia. Para iniciar o processo, uma análise de habitat foi conduzida em Iona, com resultados favoráveis para reintrodução da espécie. Consultas com as comunidades locais foram conduzidas e bem recebidas, uma vez que as girafas não competem com o gado local por alimentos e água.

Foto: African Parks

NEWSLETTER DO MUNDO NATURAL

Subscreva a nossa newsletter e receba notícias do mundo natural.