Kambaku

Icon podcast

Aumentou para 499 a caça furtiva de rinocerontes na África do Sul

Mar 5, 2024 |

Durante o ano de 2023, 499 rinocerontes foram caçados furtivamente em toda a África do Sul, sendo 406 em propriedades estatais e 93 em parques, reservas ou fazendas bravias de propriedade privada. Este número representa um aumento de 51 animais mortos em comparação com os 448 rinocerontes caçados ilegalmente em 2022.

“A pressão voltou a fazer-se sentir na província de KwaZulu-Natal (KZN), com o Parque Hluhluwe-iMfolozi a enfrentar o maior número de casos de caça furtiva, perdendo 307 do total nacional de perdas por caça furtiva. Esta é a maior perda de caça furtiva nesta província. Embora a KZN tenha registado 49 detenções e 13 armas de fogo apreendidas, as equipas multidisciplinares continuam a trabalhar incansavelmente na tentativa de abrandar esta pressão implacável”, afirmou a Ministra das Florestas, Pescas e Ambiente, Barbara Creecy.

O Parque Nacional Kruger (PNK) registou, segundo números oficiais divulgados pelo governo sul africano, uma queda de 37% em relação a 2022, com um total de 78 rinocerontes caçados em 2023. Nenhum rinoceronte foi caçado noutros parques nacionais.

Como parte do programa de combate à pobreza do governo sul-africano, há uma série de monitores de cercas contratados das comunidades vizinhas que patrulham a cerca da fronteira oeste do Kruger e relatam violações de cercas, trilhas ilegais e pessoas que entram no parque, bem como animais que escaparam do PNK, explicou a Ministra Creecy.

A ministra também elogiou o trabalho realizado pela Diretoria de Investigação de Crimes Prioritários – Hawks – em vários compromissos regionais e transnacionais para melhorar a abordagem integrada do governo no combate ao tráfico de vida selvagem. Parcerias entre os sectores público e privado, e os sectores financeiro e de transporte, continuam a ser cruciais no combate ao tráfico internacional de vida selvagem.

Em relação às acusações de caça furtiva de rinocerontes, foram proferidos veredictos em 36 casos, dos quais 35 resultaram em veredictos de culpa e um em veredicto de inocência. Os casos resultaram na condenação de 45 acusados de caça furtiva de rinocerontes/traficantes de cornos de rinoceronte, com uma taxa de condenação de 97%.

Apesar deste aumento, em setembro do ano passado, a União Internacional para a Conservação da Natureza (UICN) divulgou que, graças aos esforços de conservação, o número de rinocerontes aumentou em toda a África, segundo a The South African.

Cerca de 23.300 exemplares foram contabilizados no continente até o final de 2022, representando um aumento de 5,2% em relação a 2021, conforme relatado pela UICN. Esse aumento foi considerado como a primeira “boa notícia” para estes animais em mais de uma década.

Uma estimativa separada da International Rhino Foundation sugere que aproximadamente 15.000 rinocerontes vivem na África do Sul.

Foto: news.gov.hk

NEWSLETTER DO MUNDO NATURAL

Subscreva a nossa newsletter e receba notícias do mundo natural.