Kambaku

Icon podcast

Comunidades da zona tampão da Reserva de Marromeu treinadas em técnicas de afugentamento de animais

Ago 15, 2023 |

Mais de três mil famílias que residem na zona tampão da Reserva Nacional de Marromeu, localizada na Província de Sofala, estão a receber formação intensiva em novas técnicas de afugentamento de animais problemáticos. O objectivo do programa de capacitação é pôr fim às invasões frequentes destes animais, que podem causar danos significativos às propriedades e representam uma ameaça directa às vidas das comunidades locais.

A iniciativa, liderada pelo administração da Reserva Nacional de Marromeu tem como foco principal a gestão dos conflitos entre comunidades humanas e animais selvagens, com destaque para os búfalos. Além de destruírem habitações e culturas nos campos, estes animais têm tido comportamentos agressivos, chegando a atacar as pessoas. Há casos de animais que se isolam das manadas acabando por ficar problemáticos e há casos também de ataques de crocodilos.

Além da formação intensiva, as comunidades locais também recebem material de afugentamento de animais, como foguetes.

Desde o início deste ano, o distrito de Marromeu enfrentou mais de dez casos de conflitos entre humanos e fauna bravia, resultando em quatro fatalidades. A preocupação com estes incidentes levou a Reserva Nacional de Marromeu a intensificar os seus esforços para mitigar os conflitos e proteger comunidades locais e vida selvagem.

De acordo com Benjamim Grife, administrador da Reserva Nacional de Marromeu, “o distrito de Marromeu, que representa mais de setenta por cento de área de conservação, regista aumento da população animal, principalmente crocodilos, elefantes e búfalos, que atacam pessoas”.

“Estamos a relançar programas de treinamento às comunidades com técnicas de afugentamento na zona de Malingapanse e na zona de Macuerre que fazem limite com a Coutada 14 e agora vamos ter uma capacitação com uma equipa especializada de modo a avançarmos com outras técnicas que se adequam ao búfalo porque aqui os animais conflituosos são o elefante e o búfalo”, assegura o mesmo responsável.

NEWSLETTER DO MUNDO NATURAL

Subscreva a nossa newsletter e receba notícias do mundo natural.