Kambaku

Icon podcast

É possível equilibrar metas de desenvolvimento e conservação com dados disponíveis gratuitamente, diz estudo feito em Moçambique

Jun 3, 2022

Um estudo internacional publicado na revista Conservation Science and Practice demonstra de que forma dados de biodiversidade facilmente acessíveis e gratuitos podem ser usados para aplicar a “hierarquia de mitigação de impactos” (evitar, minimizar, restaurar, compensar) – uma estrutura para ajudar governos e investidores a abordar e reduzir os seus impactos na natureza e no bem-estar humano.

Os métodos e técnicas são demonstrados num caso de estudo realizado em Moçambique, país que passou por um rápido crescimento económico nos últimos 30 anos com potenciais impactos na degradação ambiental.

O estudo mostra como análises simples usando dados de biodiversidade facilmente acessíveis podem apoiar a aplicação da “hierarquia de mitigação de impactos” uma ferramenta usada para garantir que os promotores de projetos primeiro evitem impactos negativos na natureza, depois minimizem e restaurem quaisquer danos e, como último recurso, compensem os impactos residuais na natureza.

Os autores mostram como os dados de fontes como o Google Earth podem ser usados para mapear as localizações de espécies e ecossistemas ameaçados, identificar locais com biodiversidade importante onde o desenvolvimento deve ser evitado e identificar áreas degradadas.

Moçambique implementou recentemente legislação nacional exigindo que os investidores apliquem adequadamente a hierarquia de mitigação de impactos, incluindo compensações de biodiversidade. Análises descritas neste estudo ajudaram a informar o processo de desenvolvimento de políticas.

O trabalho foi realizado como parte do programa COMBO+ de 6 países – financiado pela Agence Française de Development e Fonds Francais pour l’Environnement Mondial – que trabalha com governos anfitriões e parceiros para melhorar as políticas e práticas de mitigação.

Hugo Costa, da Wildlife Conservation Society Moçambique, e autor do artigo, disse que o estudo forneceu uma orientação valiosa para países em rápido desenvolvimento que muitas vezes enfrentam o problema combinado de desenvolvimento rápido e dados limitados para informar o desenvolvimento de políticas ambientais: “ao mostrar como análises simples podem facilitar a aplicação da hierarquia de mitigação em países como Moçambique, este artigo fornece aos conservacionistas e governos as ferramentas para garantir que a procura de objetivos de desenvolvimento económico não venha à custa de sermos capazes de cumprir as metas nacionais e internacionais de biodiversidade”. “Não se trata apenas de biodiversidade. A aplicação rigorosa da hierarquia de mitigação também permite salvaguardar o bem-estar das comunidades e garantir que os investidores projetem medidas que incluam as comunidades locais como parte da solução e melhorem os meios de subsistência e o bem-estar das pessoas”, acrescentou.

Foto: Eurekaalert

NEWSLETTER DO MUNDO NATURAL

Subscreva a nossa newsletter e receba notícias do mundo natural.