Kambaku

Icon podcast

Estudo propõe concentrar esforços em ‘pontos críticos’ para salvar pequenos mamíferos

Abril 29, 2023

Fonte: Mongabay.com | Imagem: Mongabay.com

Nem sempre os pequenos mamíferos são a primeira escolha de cientistas, conservacionistas ou simples observadores quando se pensa em perigo de extinção da vida animal do planeta. Na maioria das vezes os holofotes, ou as objetivas, são apontadas aos mais carismáticos dos grandes mamíferos: Leões, Elefantes, Leopardos, entre outros.

Contudo, cerca de metade das espécies de mamíferos poderá estar literalmente a escapar ao nosso olhar. Isto porque metade das espécies de mamíferos no mundo são pequenos ratos ou musaranhos. 

É o que investigadores estão a propor ao mapear os locais onde surgem mais ameaças aos pequenos mamíferos como o rato Mount Lefo (Lophuromys eisentrauti), um roedor que apenas habita Mount Lefo nos Camarões ou o musaranho Sclater (Sorex sclateri) que vive no México. Tanto um como o outro são espécies criticamente ameaçadas de extinção.

Um novo estudo propõe uma imagem atualizada mapeando a distribuição de roedores e musaranhos, usando as informações mais recentes da Lista Vermelha da IUCN e em que os pesquisadores identificaram pontos críticos onde ocorrem todas as espécies globalmente ameaçadas dos dois grupos.

O estudo descobriu por exemplo, que quase 40% das espécies de Eulipotyphlan em risco ocorrem em apenas seis regiões: Camarões, Albertine Rift (a parate ociedenteal do Vale do Rift, que cobre áreas da República Democrática do Congo, Ruanda, Burundi e Uganda), Tanzânia, Etiópia, Sri Lanka, e os Ghats do Sudoeste na Índia.

De acordo com declarações ao Mongabay, Rosalind J. Kennerley, principal autora do estudo e co-presidente do grupo de especialistas da IUCN para pequenos mamíferos “esperamos que este estudo ajude a direcionar as pessoas a pontos críticos onde suas ações podem ter o máximo impacto”. “Gostaríamos de ver mais pessoas a optar por fazer pesquisas sobre pequenos mamíferos e, claro, a participar no esforço para a sua conservação”.

NEWSLETTER DO MUNDO NATURAL

Subscreva a nossa newsletter e receba notícias do mundo natural.