Kambaku

Icon podcast

Inselbergues do Niassa são refúgio do falcão mais raro de África

Mai 25, 2022

Uma equipa de biólogos da BirdLife South Africa descobriu, em Moçambique, uma importante reserva de de nidificação do Falcão Taita (Falco fasciinucha), uma pequena ave de rapina da África Central e Oriental e que é também o mais raro exemplar desta espécie em todo o continente africano.

A equipa, liderada por Christiaan Brink, investigou mais de 30 inselbergues da Reserva Especial do Niassa, no Norte de Moçambique, e descobriu ninhos desta espécie em cerca de metade destas formações de granito. O facto de terem sido encontrados jovens falcões em metade desses locais de reprodução significa, segundo os investigadores, que os progenitores criaram estes filhotes com sucesso.

Tal como é referido no Mongabay, os resultados desta pesquisa podem mudar a compreensão científica do habitat típico do falcão Taita, com uma população estimada de 500 a 1.000 espalhados pela região oriental e austral de África, da Etiópia à África do Sul.

Os falcões Taita são aves de rapina pequenas e encorpadas, que mergulham dos seus poleiros no topo de penhascos em busca de pássaros menores e que devem o seu nome ao às colinas de Taita, no Quénia, onde foram registados pela primeira vez.

A investigação foi conduzida por Christiaan Brink, gestor de projetos de aves de rapina e grandes aves terrestres da BirdLife South Africa, e pea sua equipa.

Esta descoberta reforça a importância da Reserva Especial do Niassa e da sua conservação para a sobrevivência de habitats e espécies no contexto da conservação da vida selvagem em África.

Os falcões Taita são aves de rapina pequenas, que mergulham de seus poleiros no topo de penhascos em busca de pássaros menores.

Fotos: Imagens de David Allan (à esquerda) e Ron Hartley (à direita) em Mongabay.

NEWSLETTER DO MUNDO NATURAL

Subscreva a nossa newsletter e receba notícias do mundo natural.