Kambaku

Icon podcast

IUCN publica novo mapa de áreas marinhas protegidas com importante contributo vindo de Moçambique

Jan 10, 2024 |

A União Internacional para a Conservação da Natureza (IUCN) revelou um novo Atlas Eletrónico das Áreas Importantes para Tubarões e Raias (ISRA) no Oceano Índico Ocidental. A inclusão de áreas relevantes da costa e do mar moçambicanos teve um contributo importante da Marine Megafauna Foundation (MMF), criada em Inhambane e que está hoje presente em diversos pontos do globo.

O trabalho da MMF, através de trabalho de conservação e investigação na região, desempenhou um papel crucial na designação de ISRA em Moçambique, Tanzânia, Madagascar, Qatar, Omã e Mayotte. Estas áreas são reconhecidas como habitats importantes para uma ou mais espécies de tubarões e raias, servindo como ferramenta orientadora para o desenvolvimento de estratégias de conservação baseadas em áreas, incluindo Áreas Marinhas Protegidas (AMPs).

De acordo com a MMF, os conjuntos de dados provenientes de avistamentos aéreos, pesquisas de longo prazo e marcação de animais foram fundamentais na designação de quatro ISRA ao longo da costa moçambicana: Bazaruto, Pomene e a Província Sul de Inhambane (Tofo e Zavora), além de um corredor de movimento mais extenso no sul de Moçambique.

Os resultados do projecto de investigação de uma década sobre tubarões-baleia na Tanzânia contribuíram para a designação da ISRA na Baía de Kilindoni, em torno de importantes áreas de alimentação desses gigantes marinhos. O Projecto Tubarão-Baleia de Madagáscar liderou os esforços para a criação de uma ISRA nas águas ao redor de Nosy Be, quando a MMF colaborou com o Parque Natural Marinho de Mayotte para designar áreas em torno da laguna de Mayotte, no Canal do Norte de Moçambique. A MMF também participou da designação de ISRAs focadas em tubarões-baleia no Qatar e Omã.

A MFF refere ainda a importância do esforço que envolveu colaboradores de diversas organizações, incluindo o Projecto Tubarão-Baleia de Madagascar, Projectos Marinhos All Out Africa, Wildlife Conservation Society Moçambique, SAAMBR, Oceans Without Borders, Mission Blue, Sundive Byron Bay (Sundive Research), Projeto Tubarão-Baleia do Qatar, KAUST Official (Reef Ecology Lab), Alison Kock no SANParks, Parque Natural Marinho de Mayotte, Instituto de Pesquisa de Pesca da Tanzânia (TAFIRI) e a equipa das Áreas Importantes para Tubarões e Raias – ISRAs.

Citado pela Naturlink, Ciaran Hyde, consultor da Equipa Oceânica da IUCN, explica que “ainda temos muito que aprender sobre muitas espécies de tubarões, raias e quimeras, mas infelizmente vários estudos indicam que muitas áreas protegidas não estão a conseguir satisfazer adequadamente as suas necessidades. No entanto, as Áreas Importantes para Tubarões e Raias (ISRAs) ajudarão a identificar áreas para estas espécies utilizando critérios que foram especificamente concebidos para considerar as suas necessidades biológicas e ecológicas”.

“Os tubarões são uma espécie de vida longa: muitos demoram muito para atingir a maturidade sexual e só dão à luz alguns filhotes. Isto torna-os particularmente suscetíveis à pressão da pesca e, com cerca de 37% das espécies com um risco elevado de extinção, enfrentam uma crise de biodiversidade. Os resultados do projeto ISRA informarão as políticas e garantirão que as áreas críticas para a sobrevivência de tubarões, raias e quimeras sejam consideradas no planeamento espacial”, refere a mesma publicação citando Rima Jabado, presidente do Grupo de Especialistas em Tubarões SSC da IUCN.

O mapa que está em destaque neste artigo pode pode ser encontrado aqui.

Foto: IUCN

NEWSLETTER DO MUNDO NATURAL

Subscreva a nossa newsletter e receba notícias do mundo natural.