Kambaku

Icon podcast

Moçambique recebe 150 milhões de dólares para fornecer água ao Norte através de energia solar

Fonte: Afrik 21 | Imagem: Afrik 21

Moçambique recebeu uma doação de 150 milhões de dólares da International Development Association (IDA), subsidiária do Grupo Banco Mundial para melhorar o abastecimento de água potável no norte de Moçambique, contando com a energia solar fotovoltaica

Este investimento insere-se numa das prioridades actuais do governo de Moçambique com o fornecimento de água potável à população atualmente sem acesso. 

De acordo com o Banco Mundial, apenas uma em cada três famílias tem acesso à água potável e uma em cada dez ao saneamento. 

De acordo com a Afrik 21, o Governo está a implementar o projecto nas províncias de Nampula e Zambézia, que contam com 39% da população de Moçambique sendo aquelas que menos infraestruturas básicas, incluindo abastecimento de água, saneamento e eletricidade, têm em todo o país. 

O Governo de Moçambique planeia investir em infra-estruturas de água e saneamento em 17 pequenas vilas na Zambézia (sete) e Nampula (dez) e fornecer incentivos, através de contratos baseados no desempenho, para melhorar a sustentabilidade financeira e operacional destes serviços essenciais. 

No que se refere à infraestrutura, o projeto realizará obras civis nos sistemas de abastecimento de água para 22 centros de crescimento rural, incluindo a construção e melhoria de fontes de água, estações de tratamento e colocação de tubulações para transmissão, distribuição e ligações domiciliares.

Para resolver o problema do abastecimento de energia, o governo moçambicano vai equipar as instalações de produção de água potável com sistemas solares fotovoltaicos. Estes equipamentos também irão substituir ou complementar os geradores a diesel existentes e, assim, reduzir o impacto da queda de carga na rede elétrica nacional no bombeamento e tratamento de água.

“Para mulheres e meninas rurais, o aumento da disponibilidade de água significa menos tempo gasto em busca de água. Ao reabilitar e melhorar 179 instalações de saneamento escolar, incluindo instalações de gestão de higiene menstrual nas escolas, esta operação resultará em uma diminuição no absenteísmo induzido pela menstruação e evasão de meninas ”, garamtiu à Afrik 21, Idah Z. Pswarayi-Riddihough, diretor do Banco Mundial para Moçambique, Madagáscar, Comores, Maurícias e Seychelles.

O financiamento do Banco Mundial também será usado para melhorar as instalações de saneamento em 150 escolas rurais e domiciliares, atingindo 20.000 famílias pobres. O projeto também inclui disposições especiais para estender o serviço e melhorar o abastecimento de água e saneamento entre os centros de realocação de deslocados internos vítimas dos abusos de grupos rebeldes na província de Cabo Delgado e as comunidades que acolheram estes deslocados nas províncias de Nampula e Zambézia. 

NEWSLETTER DO MUNDO NATURAL

Subscreva a nossa newsletter e receba notícias do mundo natural.