Kambaku

Icon podcast

Moçambique trava carregamento ilegal de marfim no Porto de Maputo

Abr 8, 2024 |

Uma operação conjunta entre o Serviço Nacional de Investigação Criminal (SERNIC), a Autoridade Tributária e a Polícia resultou na apreensão de um carregamento de marfim no Porto de Maputo.

Um total de 4.8 toneladas foram encontradas, divididas em vários sacos e prontas para serem exportadas para o Dubai. Autoridades apontam para um total de 200 elefantes mortos apenas para este carregamento.

Esta apreensão representa um marco sem precedentes em Moçambique e uma vitória significativa na luta contra o tráfico ilegal de vida selvagem. Durante uma conferência de imprensa realizada em Maputo, a delegada da Autoridade Tributária, Lavínia Macule, esclareceu os detalhes do caso. Segundo Macule “o exportador não foi honesto. Prestou falsas declaracões, e camuflou os pedaços de marfim dentro dos sacos de milho. Foi frustrada a tentativa de exportar as pontas de marfim porque fazem parte dos produtos proíbidos de exportar”. 

O porta-voz do SERNIC, Hilário Lole, revelou que já há detenções relacionadas com o caso:  “estamos face a um tipo ilegal de crime vigente no código penal moçambicano, que é o transporte e tráfico de espécies protegidas. Neste momento também temos três principais suspeitos alguns dos quais ja estão a ser ouvidos pelo SERNIC e poderão trazer mais informações”.

As autoridades estimam que mais de 200 elefantes foram mortos para obter o marfim apreendido. As investigações continuam em andamento para determinar a origem da mercadoria, que pode ser tanto nacional quanto estrangeira. Esta apreensão não apenas representa um golpe significativo contra o tráfico ilegal de vida selvagem, mas também destaca a necessidade contínua de vigilância e ação rigorosa para proteger as espécies ameaçadas da região.

Foto: Marfim confiscado no Quénia, 2016. Karel Prinsloo / © IFAW

NEWSLETTER DO MUNDO NATURAL

Subscreva a nossa newsletter e receba notícias do mundo natural.