Kambaku

Icon podcast

Namibiano pretende criar o maior parque privado do continente no sul de Angola

Jan 19, 2024 | Há dez anos, encostada entre os rios Cubango e Cuito, a aproximadamente 1.500 quilómetros da capital angolana, nascia a única reserva privada de vida selvagem em Angola. Idealizado pelo conservacionista namibiano Stefan Van Wyk, Cuatir ambiciona tornar-se no maior parque de safaris privado de África. Segundo a Agência Lusa, Stefan, natural de Windhoek, Namíbia, descobriu Cuatir em 2012 durante um voo de avioneta, cativado pela solidão e completa ausência de vestígios humanos. Imediatamente, iniciou o processo para formalizar uma concessão para a área. Cuatir caracteriza-se por ser uma vasta extensão de savana com várias espécies de antílopes como palancas vermelhas, reduncas (ou nunces como são chamados em Angola), ou cudos em 40.000 hectares de extensão. Outros mamíferos, incluindo zebras, girafas, mabecos e até chitas, deixam os seus vestígios, mas geralmente permanecem invisíveis para os visitantes. Stefan estabeleceu a sua base aqui, com uma área de campismo e seis bungalows simples, prontos para receber turistas e cientistas que estudam a vida selvagem neste projeto de conservação, albergando 32 espécies de mamíferos, 112 espécies de aves e 24 espécies de árvores. Em 2020, Stefan começou a reintroduzir no Cuatir espécies que desapareceram durante a guerra, como girafas e zebras, que se readaptaram rapidamente ao seu habitat natural. Para 2024, está prevista a chegada de uma manada de 16 elefantes da Namíbia, uma operação complexa que exige licenciamento, captura, transporte e a expansão do cercado para evitar o seu regresso. O acesso a Cuatir por estrada é desafiador, exigindo veículos robustos e resistência para a viagem difícil. Stefan pretende expandir a reserva privada, atualmente a única em Angola, para 200.000 hectares, tornando Cuatir no maior parque de safaris gerido privadamente em África. “A África do Sul tem o Tswualu, acho que com 100 mil hectares, Namibia tem Erindi, com 70 mil hectares, e este vai ser o maior parque privado em África para ecoturismo”, aspira, sublinhando que a província de Cuando Cubango é ideal para a vida selvagem devido às extensas florestas e às chuvas. A fauna abundante contrasta com a ausência de aldeias, excepto pelas dispersas comunidades Nganguela e Camussequele (San), com poucos sinais de presença humana. Stefan emprega trabalhadores locais em diversas funções, desde a cozinha até vigilantes e guias, contribuindo para os seus meios de subsistência. Com planos para estabelecer outro acampamento e construir casas na árvore perto de um miradouro onde os turistas podem apreciar a beleza do pôr do sol africano, Stefan garante que continuará a receber pequenos grupos, garantindo uma experiência privada. Em 2024, pretende intensificar o marketing internacional para atrair mais turistas, sublinhando a sua importância para a economia de Angola. Saiba mais sobre Cuatir aqui. Foto: angola-uncharted-safari

NEWSLETTER DO MUNDO NATURAL

Subscreva a nossa newsletter e receba notícias do mundo natural.