Kambaku

Icon podcast

Autoridades abatem elefante que matou homem em Massingir para evitar futuros ataques

Fev 14, 2024 | Uma equipa de guardas do Parque Nacional do Limpopo abateu o elefante que causou a morte de um homem de 61 anos na aldeia de Mavoze, distrito de Massingir, província de Gaza. Esta acção foi realizada como parte dos esforços das autoridades para conter o número de vítimas de ataques de elefantes na região. Segundo informações da Rádio Moçambique, os ataques de elefantes já resultaram em três mortes naquela área este ano. O abate do elefante é, assim, visto como parte das medidas para conter esta onda de ataques. O coordenador de fiscalização do Parque Nacional do Limpopo, Romão Gadaga, informou à Rádio Moçambique que, além do abate deste animal, o Parque ofereceu apoio multifacetado à família do falecido, incluindo a realização de cerimónias fúnebres. “O Parque lamenta a perda do membro da comunidade de Mavoze e reuniu uma equipe de guardas que foi enviada para a área onde ocorreu o incidente para localizar o animal e abatê-lo. A equipe conseguiu alcançar seu objetivo na tarde de segunda-feira”, afirmou Gadaga. Malaquias Cuamba, chefe do posto administrativo de Mavoze, afirmou que o abate do elefante trará algum alívio para as famílias que perderam entes queridos e para a população em geral, uma vez que poderão retomar suas actividades diárias com mais tranquilidade. “Um dos pedidos feitos pela comunidade e pela família foi abater o animal que era um problema, para que ele não coloque outros residentes da aldeia numa situação semelhante no futuro”, disse Cuamba. “Dessa forma, eles estão um pouco aliviados psicologicamente, porque o animal agora não causará mais vítimas na comunidade. Outro pode aparecer, mas aquele já se foi.”, acrescentou. Foto: coolwallpapers.me

NEWSLETTER DO MUNDO NATURAL

Subscreva a nossa newsletter e receba notícias do mundo natural.