Kambaku

Icon podcast

Equipa do Niassa Lion Project explora PN de Maputo e Escola Lapalala Wilderness

Jun 4, 2024 | A equipa do Niassa Lion Project visitou o Parque Nacional de Maputo e passou cinco dias na Escola Lapalala Wilderness, na África do Sul. Esta experiência imersiva foi mais do que uma simples viagem, foi um workshop de construção de equipas e liderança que proporcionou um profundo mergulho em temas essenciais para o desenvolvimento pessoal e colectivo dos membros residentes na Reserva Especial do Niassa. A jornada começou com um dia de visita ao Parque de Maputo, que impressionou com a sua beleza e biodiversidade e inspirou a equipa a recfletir sobre a importância da preservação ambiental e do papel de cada um na protecção do planeta. Em seguida, a equipa dirigiu-se à Escola Lapalala Wilderness, onde passaram cinco dias intensos de formação e reflexão. Sob a orientação do Director Mashudu de Lapalala, exploraram a identidade pessoal e as diferenças entre os membros da equipa, discutiram os atributos dos seus valores e alinharam a missão e objectivos do projecto. As actividades foram cuidadosamente desenhadas para ajudar a melhorar a resolução de conflitos e a resolução de problemas. Um dos pontos altos da estadia em Lapalala foram os gamedrives, que permitiram observar a vida selvagem no seu habitat natural. Esta experiência foi complementada pela exploração da arte de San rock, proporcionando uma ligação única à cultura e história locais. A equipa de Lapalala partilhou a sua visão, implementada de forma consistente ao longo dos últimos 40 anos. O Fundo Acelerador Wildlife Conservation Network ajudou a cobrir parte dos custos da viagem. Fotos: Niassa Lion Project

Centro Terra Viva reforça produção de mexilhão para comunidades de Machagulo

Jun 4, 2024 | Teve início a mobilização de material para o cultivo de mexilhão no Posto Administrativo de Machangulo, abrangendo as comunidades de Santa Maria e Mabuluco, no Distrito de Matutuine, Província de Maputo. Cerca de 400 bidões serão integrados a outros componentes, como cordas, boias, redes, linhas de formação de redes, agulhas, cimento, pedras e espátulas. De acordo com o Centro Terra Viva, estes materiais servirão para a identificação e estabelecimento das plataformas de suporte para a engorda do mexilhão, como gaiolas e saquetas, visando tanto o consumo quanto a geração de receitas para os Conselhos Comunitários de Pesca (CCP’s) das localidades envolvidas. Esta actividade faz parte do Projecto de Gestão de Recursos Naturais pelos Conselhos Comunitários de Pesca (CCPs), em implementação desde 2023. O objectivo é melhorar a resiliência dos ecossistemas e os meios de subsistência das comunidades no Parque Nacional de Maputo. A iniciativa promove alternativas de geração de renda à actividade pesqueira tradicional, fortalecendo a gestão de recursos naturais pelas Organizações de Base Comunitária (OCBs). A iniciativa de desenvolvimento de alternativas de renda local para a produção de mexilhão, em apoio aos CCP’s de Santa Maria e Mabuluco, na zona tampão do Parque Nacional de Maputo, é conduzida pelo Centro Terra Viva, em coordenação com a Associação do Meio Ambiente (AMA). Denominado BIOPMA (Programa de Gestão da Biodiversidade e Áreas Protegidas), o projeto é financiado pela União Internacional para a Conservação da Natureza (IUCN) com fundos da União Europeia. Com previsão de término em junho de 2024, o projecto envolveu um financiamento de 199.713,27 Euros. Esta iniciativa é um passo significativo para a sustentabilidade ambiental e econômica das comunidades locais, oferecendo uma nova fonte de renda e contribuindo para a conservação dos recursos naturais na região. Fotos: asc-aqua.org/CTV

Novo documentário retrata ‘Natureza dos Homens e dos Animais’ de Moçambique

Abr 14, 2023 O cineasta Licínio de Azevedo lançou o seu mais recente trabalho, o documentário intitulado “Natureza dos Homens e dos Animais”, mergulhando nas complexas relações entre a vida selvagem e as comunidades que habitam o interior e o entorno das áreas protegidas de Moçambique. A mini série, composta por seis episódios de 25 minutos cada, é inspirada nas vivências diárias, dinâmicas e conflitos encontrados no interior e nos limites das áreas de conservação. A empresa responsável pela produção é a Ebano Multimedia, com Licínio Azevedo na direção, auxiliado por Gabriel Mondlane e com a direção de fotografia a cargo de Jesus Sanjuro. A produção foi supervisionada por Jorge Ferrão. As gravações do documentário decorreram ao longo de seis semanas no Parque Nacional de Maputo, que foi retratada como o “Parque dos Elefantes”. Antes de ser Parque Nacional a Reserva Especial de Maputo era popularmente conhecida como a Reserva dos Elefantes. A comunidade de Madjadjane desempenha os papéis principais na série. Os guardas florestais do parque e os caçadores furtivos também fazem parte da trama e estiveram envolvidos durante as várias semanas de gravação. “A natureza dos homens e dos animais” é um documentário dramático com elementos ficcionais. A série retrata os desafios enfrentados por aqueles que convivem diariamente com animais selvagens de diferentes portes, bem como as soluções e alternativas encontradas. Também mostra o apoio fornecido pelas forças de conservação estabelecidas nos parques nacionais. A série contou com o apoio financeiro da USAID-Speed em colaboração com o BioFund e AMOCINE. Fotos: Frames do Filme Vídeo: TVM

NEWSLETTER DO MUNDO NATURAL

Subscreva a nossa newsletter e receba notícias do mundo natural.