Kambaku

Icon podcast

Primeiros encalhes de tartarugas bebés na costa de Moçambique e África do Sul

Mar 19, 2024 | Os ovos das tartarugas marinhas que nidificam na costa de Moçambique e norte da África do Sul começaram agora a eclodir e estas começaram a lançar-se ao mar aproveitando a corrente das Agulhas que as leva para sul. Mas nem todas conseguem libertar-se dos vários obstáculos e predadores. Uma tartaruga cabeçuda recém-nascida com pouco mais de seis centímetros de comprimento, foi encontrada em Muizenberg, na África do Sul, tornando-se assim no primeiro filhote da temporada de encalhes de 2024. Entre Novembro e o final de Janeiro, as tartarugas cabeçudas (caretta caretta) e tartaruga coriácea (Dermochelys coriacea) – ambas listadas como vulneráveis pela União Internacional para a Conservação da Natureza (IUCN) – depositam os seus ovos durante a noite ao longo das praias de Moçambique e das regiões do norte da África do Sul. Talitha Noble, gestora de conservação de tartarugas da Two Oceans Aquarium Foundation. explica à News 24, que “devido a ferimentos, desidratação e hipotermia, alguns destes filhotes infelizmente encalham nas praias ao redor do Cabo Ocidental. Especialmente durante os ventos de costa, as pessoas devem ficar atentas a tartarugas encalhadas em nossas praias.” Mas não é fácil ver as pequenas tartarugas. Por estarem frequentemente presas nas correntes, elas encontram pedaços de algas ou outros objectos flutuantes para se esconder ou segurar quando estão no mar. É por isso que frequentemente são encontradas na praia, escondidas entre as algas e outros detritos marinhos que foram arrastados. A corrente das Agulhas, quente e movendo-se para o sul ao longo da costa leste da África, é uma das correntes oceânicas mais rápidas do mundo e, a partir de janeiro, milhares de tartarugas nascem e nadam para o mar, arriscando-se com uma ampla gama de predadores potenciais, incluindo pássaros, caranguejos e peixes. O que também é perigoso é a quantidade de plástico no oceano, que muitas tartarugas confundem com comida e ingerem.Poucas sobrevivem até a idade adulta, com estimativas variando de uma em 1.000 a uma em 10.000, segundo a Administração Nacional Oceânica e Atmosférica dos EUA. O Centro de Conservação de Tartarugas da Two Oceans Aquarium Foundation ajuda a aumentar as possibilidades de sobrevivência. Recebe em média entre 70 e 100 tartarugas encalhadas por ano e, em 2023, 55 de 79 tartarugas, ou 70%, em reabilitação no centro haviam ingerido plástico. A Tartaruga #1 foi encontrada em “condição corporal relativamente boa considerando o seu encalhe”, disse Noble. Para educar as pessoas sobre o que fazer com essas espécies vulneráveis e em perigo se as encontrarem, o centro de conservação do aquário realiza uma viagem anual de resgate de tartarugas. Desde filhotes até adultos, nunca é normal encontrar tartarugas encalhadas numa praia – é um sinal de que a tartaruga está em perigo e não deve ser devolvida ao mar. “A única vez que uma tartaruga voltará à praia”, diz Noble, “é quando uma fêmea precisa depositar seus ovos”. Fotos: News24/Two Oceans Aquarium

Parque Nacional de Maputo resgata 101 tartarugas e devolve-as ao seu habitat natural

Fev 11, 2024 | Os guardas-florestais do Parque Nacional de Maputo (PNM) resgataram manualmente um total de 101 pequenas tartarugas cabeçudas que estavam presas na densa vegetação das dunas, em plena época de eclosão. Durante este estágio, as tartarugas recém-nascidas emergem dos ovos que foram depositados pela progenitora na areia durante o processo de desova. Após um período de incubação, que pode durar várias semanas a alguns meses, dependendo da espécie e das condições ambientais, os filhotes quebram a casca do ovo e emergem para a superfície da areia. Em seguida, fazem seu caminho até ao oceano, onde iniciarão sua jornada de vida independente. E foi para ajudar neste processo que a equipa de conservação do PNM interveio colocando-as gentilmente em baldes e dando-lhes um ajuda até à costa, onde foram liberadas para sua primeira aventura no mar.   A história é contada pela Peace Parks Foundation numa publicação em que explica que ser uma tartaruga bebé não é tarefa fácil, pois desde o momento em que eclodem de seus ovos, enfrentam inúmeros desafios no seu caminho em direção ao oceano. As crias de tartaruga cabeçuda resgatadas nesta operação foram verdadeiramente afortunadas, já que a equipa de monitoramento de tartarugas as avistou a tempo, enquanto lutavam para se deslocar pela areia. As tartarugas cabeçudas estão classificadas como criticamente em perigo, o que significa que cada uma das 101 crias resgatadas desempenha um papel vital na sobrevivência da espécie. Estatísticas revelam que cerca de 80% das tartarugas que desovam ao longo dos 2.470 km da costa de Moçambique escolhem este trecho protegido de 100 km, resultado de uma colaboração entre a Peace Parks Foundation e a Administração Nacional das Áreas de Conservação. De acordo com a PPF, “os heróis da história fazem parte de uma equipa que protege tartarugas aqui desde 2008. Percorrem essas praias dia e noite, procurando por tartarugas que desovam ou por crias que necessitam de protecção, ou, neste caso, assistência para chegar em segurança ao oceano”. Foto: Parque Nacional de Maputo/PPF

NEWSLETTER DO MUNDO NATURAL

Subscreva a nossa newsletter e receba notícias do mundo natural.