Kambaku

Icon podcast

Parque Nacional do Zinave recebe 160 novos animais

Abr 13, 2023

O Parque Nacional do Zinave (PNZ), localizado no distrito de Mabote, em Moçambique, vai receber cerca de 160 novos animais anunciou a Administração Nacional das Áreas de Conservação (ANAC) numa iniciativa coordenada em parceria com o Governo da província de Inhambane.

De acordo com informação avançada pelo jornal Notícias e pela Lusa, deste número 40 são elefantes a serem translocados do Parque Nacional de Maputo e 75 girafas do Parque Nacional Kruger, na África do Sul de onde também serão transferidos 45 rinocerontes provenientes da Reserva Nacional de Manketti.

Esta iniciativa está, segundo o matutino, “inserida no projecto de repovoamento animal deste local turístico planificado no ano passado pelo Governo através do Ministério da Terra e Ambiente (MTA), o qual prevê a translocação de 45 rinocerontes, dos quais 30 brancos e 15 pretos, da Reserva Nacional de Manketti, na África do Sul, que terá lugar entre os meses de Maio e Junho. Este projecto foi debatido na VI Sessão Ordinária do Conselho Provincial de Representação do Estado (CPSRE) de Inhambane, com o intuito de aferir o nível de preparação da translocação destes animais”.

De acordo com Elvira Chirindza, porta-voz do CPSRE, os rinocerontes pretos farão escala para quarentena no Parque Nacional de Maputo, enquanto que os rinocerontes brancos irão directamente para o Zinave.

Segundo o mesmo jornal, para garantir a protecção e segurança dos animais, está em curso a contratação de 34 novos fiscais que irão integrar o grupo dos 52 já existentes no parque e que concluíram a sua formação em Março. A porta-voz revelou que, para garantir maior mobilidade, controlo e comunicação entre as equipas de fiscalização na execução das suas actividades diárias, está em curso a aquisição de um helicóptero, viaturas, rádios de comunicação digital e o estabelecimentos de novos postos de fiscalização.

Estão igualmente em curso trabalhos de expansão do santuário de fauna de 18.600 hectares para 30 mil hectares, para incrementar a capacidade de carga. Com a introdução destes animais, espera-se que a actividade turística seja cada vez mais dinamizada e haja maior arrecadação de receitas para os cofres do Estado, bem como o aumento de postos de trabalho para as comunidades locais.

NEWSLETTER DO MUNDO NATURAL

Subscreva a nossa newsletter e receba notícias do mundo natural.