Kambaku

Icon podcast

Recuperação da Gorongosa e outras estórias inspiram livro infantil

Mai 14, 2024 |

No novo livro “Rewild the World at Bedtime” de Emily Hawkins com ilustrações de Ella Beech, descobrimos 20 estórias em que pessoas trabalharam com a natureza para trazer de volta os animais às terras onde antes viviam.

Num destes contos, mergulhamos numa estória de recuperação do Parque Nacional da Gorongosa, que se destaca entre as demais. No coração da narrativa está a Dra. Dominique, uma jovem cientista dedicada que aprende sobre como proteger os elefantes. Ao longo dos anos, Dominique testemunhou a luta e o renascimento da vida selvagem na Gorongosa.

Com a destruição trazida pela guerra este santuário natural, outrora repleto de vida, foi transformado num campo de batalha. Zebras e gnus foram caçados pela sua carne, enquanto os elefantes foram mortos pelo valioso marfim, vendido para comprar armas e suprimentos.

Quando a guerra finalmente terminou, o parque estava irreconhecível. Estradas foram destruídas, edifícios reduzidos a escombros, e o solo estava repleto de ossos de criaturas perdidas. Grande parte dos animais da Gorongosa havia desaparecido.

Onde antes havia mais de dois mil elefantes, agora restavam menos de duzentos. Os búfalos haviam desaparecido, assim como os rinocerontes, leopardos e leões. A paisagem também havia mudado. Sem os animais de pasto, as gramíneas cresceram altas e arbustos espinhosos tomaram conta, espalhando-se pelas planícies em densos matagais.

Em 2004, um empresário americano chamado Greg Carr visitou Moçambique. Havia feito fortuna no ramo de softwares e queria retribuir a uma boa causa. Greg apaixonou-se pela Gorongosa e investiu milhões de dólares para ajudar na recuperação do parque. Com o seu apoio, o parque teve recursos não apenas para trazer de volta os animais, mas também para construir escolas, fornecer assistência médica e criar empregos para as pessoas que viviam em torno da Gorongosa.

Ao longo dos anos seguintes, muitas plantas e animais retornaram à área, e cientistas foram contratados para pesquisar essas diversas espécies. Uma dessas novas contratações foi Dominique. Nasceu na cidade próxima da Beira, quando a guerra estava a chegar ao fim. Dominique cresceu com amor pela ciência e estudou ecologia e conservação na universidade. Ao ouvir falar do emocionante trabalho na Gorongosa, sabia que precisava fazer parte. Dominique conseguiu um trabalho na equipa científica e agora é uma especialista nos elefantes do parque.

Estas majestosas criaturas são cruciais para a recuperação da Gorongosa. Com os seus imponentes corpos e trombas poderosas, transformam paisagens. Ao passar, alimentam-se de gramíneas altas e destroem arbustos espinhosos, criando espaço para antílopes e outros animais pastarem. No entanto, como Dominique descobriu, embora a população de elefantes esteja a recuperar, ainda há desafios a enfrentar.

Parte do seu trabalho é encontrar formas de humanos e elefantes vivam juntos em harmonia. Às vezes, estas criaturas entram em conflito com as pessoas que vivem nas proximidades. Na fronteira sul da Gorongosa há um rio que os elefantes ocasionalmente cruzam, visitando machambas para se alimentarem das plantações. Para resolver esse problema, funcionários e moradores locais ergueram cercas feitas de colmeias de abelhas amarradas juntas para proteger as fazendas. Se os elefantes perturbam a cerca, as abelhas ficam agitadas e picam-nos até recuarem. Estas colmeias inteligentes, além de manterem os elefantes afastados, fornecem mel para os agricultores comerem e venderem. Projetos como este, nos quais tanto a vida selvagem quanto as comunidades humanas se beneficiam, são vitais para a Gorongosa.

Hoje, enquanto Dominique observa o rebanho de elefantes a refrescar-se no lago, está cheia de esperança no futuro. Nos trinta anos que se passaram desde o fim da guerra civil de Moçambique, muita coisa mudou para melhor. As populações de vida selvagem recuperaram, as pessoas estão mais felizes, e este lugar agora é o lar de uma variedade impressionante de animais e plantas, além de uma comunidade unida dedicada a cuidar deles.

Imagens: Rewild the World at Bedtime por Emily Hawkins, ilustrado por Ella Beech © Wide Eyed Editions, 2024

NEWSLETTER DO MUNDO NATURAL

Subscreva a nossa newsletter e receba notícias do mundo natural.